Tiago Lins

Tiago Lins

Co-fundador & CEO - We Care.Fitness

Gamificação: entenda como este conceito pode virar o jogo na retenção de alunos!

Retenção, fidelização, recuperação… estas palavras não saem da cabeça de qualquer gestor de academia. Entenda como a gamificação pode ajudar!

Retenção, fidelização, recuperação… estas palavras não saem da cabeça de qualquer gestor de academia. É bem verdade que os planos semestrais e anuais ajudam no sono de quem está a frente se uma academia preocupado com o caixa da empresa, mas eles não resolvem o problema crônico do abandono dos alunos, principalmente nos primeiros três meses após o início das atividades físicas.

Neste contexto, trazemos aqui para o Blog o conceito da Gamificação (adaptação do inglês, Gamification). A Gamificacão consiste na utilização de técnicas, aplicadas nos jogos de videogames, na solução de problemas que demandam a mudança de comportamento.

Se você joga ou já jogou algum joguinho no celular, vai entender do que estou falando, afinal, você já parou para se perguntar o que lhe levou a passar horas ali tentando completar uma missão ou passar de uma fase?

Pois bem, a gamificação vem sendo usada no mundo dos negócios para aumentar a motivação e engajamento das pessoas gerando resultados surpreendentes. Vamos entender um pouco dos mecanismos utilizados nos jogos e discutir sua aplicação no contexto da retenção de alunos.

Mecanismos de motivação e engajamento aplicados nos games

Os fabricantes de jogos de sucesso utilizam dados para tomar decisões sobre como o jogo deve se desenrolar. O que acontece com o jogo, depende exclusivamente do comportamento do jogador. Este é o primeiro e principal mecanismo que um criador de jogos de sucesso utiliza.

Adicionalmente, outros mecanismos são considerados na criação do jogo, como: competitividade, a colaboração, o senso de comunidade, o poder da conquista, o inesperado, a percepção de progresso e a exploração.

A utilização de tais mecanismos vem do fato das pessoas, em geral, se enquadrarem em quatro perfis de jogadores:

Exploradores: são interessados em descobrir todos os segredos do jogo e querem sempre ver novidades. A descoberta/inesperado é a melhor recompensa para esses jogadores.

Realizadores: buscam acumular o máximo de pontos e status no jogo. Mostrar para seus amigos o seu progresso e conquistas é o que importa.

Predadores: são parecidos com os conquistadores, buscam acumular pontos e status. Contudo, estes jogadores são extremamente competitivos e para que ganhe, alguém tem que perder, caso contrário, o jogo não tem graça.

Socializadores: buscam no jogo uma forma de diversão e se relacionar com outras pessoas. Preferem colaborar com outros jogadores no sentido de conquistar algo grande e melhor, a conquistar algo sozinho.

Olhando para os tipos de jogadores e os mecanismos utilizados pelos desenvolvedores de jogos fica claro a relação entre eles.

Você deve está pensando nestes tipos de jogadores e visualizando alguns de seus alunos.  

Bingo!!! Eu tenho uma boa notícia para você.

O criador desses perfis, Richard Bartle, identificou, através de pesquisas, que 10% dos jogadores são do tipo Exploradores, 10% do tipo Realizadores, menos de 1% do tipo Predadores e quase 80% são do tipo Socializadores.

Uhm… Por que será que o Facebook é um sucesso?

Se estiver curioso para descobrir seu perfil de jogador, faça o teste! 🙂

Conhecendo os mecanismos utilizados na criação dos jogos e os perfis de jogadores, vamos falar dos elementos do jogo que dão “vida” a estes mecanismos.

Recompensas – o pote de ouro no fim do arco-íris

De modo geral, as recompensas são a principal razão pela qual os jogadores se motivam a permanecerem no jogo. Elas devem ser pensadas considerando os perfis dos jogadores e o nível de esforço necessário para a conquista. Deve existir um equilíbrio entre dificuldade e percepção de valor da recompensa pelo jogador, caso contrário incorremos no erro de torná-las desprezíveis ou inalcançáveis.

Dentre as formas de recompensas utilizadas nos jogos, pensando na gamificação, cinco são mais relevantes: status, acesso, influência, brindes e giftings.

Status é o tipo mais explícito de recompensa, pode ser encontrado na forma de rankings dos melhores jogadores, distribuição de badges (espécie de troféu/indicadores de realização de tarefas ou de expertise) ou por atribuição dos próprios jogadores. Esse último é o modo mais significativo para os envolvidos em um jogo, uma vez que provém do reconhecimento dos demais participantes. Por exemplo, ao fazer a avaliação de um serviço de entrega ou transporte via aplicativo, você, como “jogador”, está atribuindo uma nota que vai influenciar no status do entregador.

Acesso promover ou não acesso a conteúdos estratégicos, informações privilegiadas, habilidades específicas, entre outros, é uma forma eficiente de sistematizar as recompensas. Esta é uma maneira bastante promissora de manter os jogadores conectados com seus propósitos.

Influência pode ser concedida ao jogador por meio de interferência no jogo. Quando avaliamos um hotel em um serviço online de reservas tipo Booking.com, estamos exercendo influência no jogo, pois dependendo do que dissermos, outras pessoas irão se sentir mais ou menos inclinadas a realizar uma reserva no mesmo hotel.

Brindes, como deve supor, traduzem-se como o método mais simples de recompensa possível, na forma de benefícios, itens, dicas etc. Os brindes são utilizados como uma espécie de feedback positivo em pequena escala e em maior frequência. O biscoito que o adestrador dá para o cachorrinho por ter acertado o salto é um bom paralelo para o conceito de brindes no jogo.

Giftings funcionam como um modo de ampliação da interação social em um jogo, a partir da troca de presentes entre jogadores e do consequente estabelecimento de comunidades mais fortes e engajadas. Quando o programa de fidelidade das companhias aéreas possibilita a troca de pontos entre os membros, ela usa desse artifício.

Estamos quase virando especialistas em jogos, mas ainda falamos muito pouco sobre como isso pode ajudar, na prática, a retenção e fidelização dos alunos

Vamos a gamificação no processo de motivação e engajamento dos alunos!

Gamificação na academia

Como gestor de uma academia, provavelmente você já implementou mecanismos da gamificação e recompensas na sua academia. Mas vale uma reflexão sobre se a implementação desses mecanismos está sistematizada de uma maneira que seus alunos estejam sempre motivados e engajados na busca da próxima recompensa.

Ações pontuais como desafios e promoções para renovação de plano, não deixam de ser elementos da gamificação, mas o fato é que estes geram resultados em um curto intervalo de tempo, após o desafio ou promoção encerrarem, o jogo também termina.

O desafio dos gestores está em construir um jogo que contemple a maioria dos mecanismos apresentados acima, possua formas de recompensas variadas e seja cíclico, ou seja, sempre que o aluno chegar em um ponto máximo, ele possa iniciar em uma nova fase do jogo.

Exemplo: novo aluno

Vamos imaginar que cada ficha de treino seja um jogo. Pensando no aluno que está iniciando na academia, seu primeiro desafio deve ser determinar um objetivo mensurável e alcançável. Feito isso, ele ganha sua primeira recompensa, sua ficha de treinos!

O próximo desafio deste aluno vai ser conseguir visitar a academia na primeira semana na frequência prevista em sua ficha de treinos. Feito isso, ela deve ganhar uma nova recompensa, que pode ser uma aula avulsa que não faz parte do seu plano, um desconto no restaurante ou lojinha da academia ou uma medalha, isso mesmo, você está reconhecendo seu esforço para estabelecer uma nova rotina. Que venhamos, não é fácil!

Seguindo, o aluno conseguiu conquistar a segunda recompensa. Agora ele terá que atingir 70% da frequência prevista nas duas semanas seguintes. Reflita comigo, o aluno está apenas começando, conseguindo atingir 70% do previsto já é uma conquista a ser celebrada. Atingindo a meta, você o recompensa com uma nova medalha ou outro elemento de valor semelhante ou anterior. Agora, se o aluno foi 100% do previsto, você deve recompensá-lo com algo que perceba mais valor; é hora de gerar encantamento! A recompensa aqui depende do que você tem ao seu alcance (academia e parceiros).

Siga construindo a jornada de sucesso do aluno estabelecendo checkpoints e recompensas. Funciona semelhante a definição dos Marcos do Sucesso do Cliente. A medida que o aluno for avançando nas conquistas, os desafios ficam mais difíceis. O importante é ter sempre um novo objetivo a ser alcançado nas próximas duas semanas.

Em paralelo pense em como introduzir outros elementos de recompensa, por exemplo, um ranking dos alunos que ganharam mais medalhas no mês e publique na mídia interna da academia. Conduza entrevistas regulares com seus alunos para identificar quais mecanismos do jogo geram mais engajamento e que outras abordagens podem ser utilizadas.

A tecnologia como aliada na Gamificação

A gamificação está transformando modelos de negócios e criando novos caminhos de estender relacionamentos, aumentar o engajamento e gerar maior fidelização às marcas. O segredo do sucesso da gamificação está em trabalhar a motivação e desejos intrínsecos que existe nas pessoas pelo senso de comunidade, realização, recompensa e comunicação.

Aliada às tecnologias digitais, a gamificação ganha impulso dentro das academias, pois, a partir do uso dos dispositivos móveis pelos alunos, como celulares e smartwatches, é possível criar uma dinâmica no jogo baseada no comportamento do aluno dentro e fora da academia.

A We Care.Fitness é pioneira no mercado em aplicar os conceitos da gamificação e da gestão do sucesso do cliente para garantir que seus alunos atinjam objetivos.

Se quiser conhecer como aplicamos as técnicas da gamificação em nossa plataforma temos um post aqui no Blog explicando tudo, confere aqui!

Agora se já gostou do que viu e quer receber uma ligação de nossa equipe, deixe seus contatos por aqui. Será um prazer conversar com você!

Deixe um comentário